• Bruna Zimmermann

A IMPORTÂNCIA DA SEXUALIDADE

Atualizado: 5 de abr.

SEXUALIDADE É AMOR, É DIREITO, É POLÍTICA, É VIDA


Qual a primeira coisa que vem à cabeça quando você pensa em sexualidade? Eu arriscaria que muitos responderiam sexo.


E quem nunca ouviu uma conversa na roda de amigos com perguntas sobre “fulano é bom de cama?”, “você é bom de cama?”? Essas perguntas só confirmam o quanto o conceito de sexualidade está ligada ao sexo – e ao outro. Mas será que sexualidade realmente é só sexo? E aquela sexualidade de/para nós mesmos?


A sexualidade está relacionada à individualidade, mas também é influenciada diretamente pelo aspecto social. Por vivermos hoje, ainda numa sociedade muito repressiva e com inúmeros tabus em relação à temática, acaba provocando grande impacto na relação que estabelecemos com o nosso corpo, na forma como experienciamos o mundo e como nos relacionamos.


E o tabu começa aí, achamos que nosso corpo é para o outro, performamos no pequeno espaço sexual que encontramos, e na maioria das vezes, não exploramos todo nosso manancial de prazer. O conceito de sexualidade confundido com a relação sexual em si é a primeira desconstrução a se fazer a respeito do assunto – pois ela está para além de uma transa, para além da genitalidade e para além de um outro. Sexualidade está relacionada a nossa maneira de estar no mundo, faz parte de quem somos e como nos expressamos.


A Organização Mundial de Saúde traz como conceito fundamental de sexualidade “um aspecto central do ser humano ao longo da vida, incluindo sexo, identidades de gênero e papéis, orientação sexual, erotismo, prazer, intimidade e reprodução”. Nossa sexualidade precisa ser vivida, primeiramente, por nós mesmos, para depois vivermos com o outro. É de extrema importância encontrarmos antes prazer em nós, para então conseguirmos dividi-lo com o outro.


Convido a todos para que olhem a sexualidade de maneira mais ampla, com mais cuidado e acolhimento. Estarmos abertos à constantes reflexões e desconstruções, para que possamos viver uma sexualidade mais saudável (o que não quer dizer apenas a ausência de disfunções/dificuldades sexuais) e desfrutar de toda a potência que ela e nosso corpo podem nos proporcionar.


Sexualidade é direito fundamental de cada um de nós. Direito de sermos e habitarmos nosso corpo, de vivermos a partir do nosso gênero, com a nossa orientação sexual, disfrutando de todo o erotismo, prazer e intimidade possível, e nos reproduzindo quando, e se, quisermos.


Sexualidade é vida.





64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo